Canções de Migração: De Volta Pro Meu Aconchego

De Volta Pro Meu Aconchego é uma música de amor, isso não podemos negar. Mas, se a gente olhar com cuidado, é possível interpretar a canção como sendo a fala de uma pessoa migrante que expressa uma sensação de alegria e acolhimento ao voltar pra casa. Isso também é amor.

“De Volta Pro Meu Aconhego” é uma composição de Dominguinhos e Nando Cordel.

Na música, o eu lírico deixa clara a sua felicidade ao voltar “pro seu aconchego” e retrata a saudade que sente do seu lugar de origem. Esse trecho da música leva à interpretação de que, talvez, este retorno seja algo sazonal, não definitivo. Talvez também não seja a primeira vez que acontece.


“É duro ficar sem você, vez em quando

Parece que falta um pedaço de mim

Me alegro na hora de regressar

Parece que eu vou mergulhar

Na felicidade sem fim

No entanto, como já falamos muitas vezes por aqui, voltar pra casa não significa necessariamente negar a vida como imigrante. É possível sentir-se bem no retorno e, ainda assim, gostar e se conectar com o país onde se vive. A migração muitas vezes é uma escolha, o que pode significar uma experiência bastante positiva, apesar dos inúmeros desafios.

Estou de volta pro meu aconchego

Trazendo na mala bastante saudade

Essa saudade que vai na mala pode, sim, ser do país de origem; uma saudade acumulada pelo tempo em que se esteve fora. Mas também pode ser do local de acolhida, que vai junto com o eu lírico nessa viagem, apesar da felicidade latente pelo retorno.

Que bom poder tá contigo de novo

De Volta Pro Aconchego é uma composição de Dominguinhos e Nando Cordel e ficou eternizada na voz da cantora Elba Ramalho. Em 1985, a música foi tema do protagonista Roque (José Wilker) da novela Roque Santeiro.


Clica no play pra curtir essa música tão linda!

*Por Lali Souza

*Imagem de destaque: site oficial Elba Ramalho / divulgação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *